Gabriela 
Antônio Carlos Jobim

« Testi e canzoni

Jorge Amado
Gabriela 
Antônio Carlos Jobim
Vim do norte vim de longe
De um lugar que já nem há
Vim dormindo pela estrada
Vim parar neste lugar
Meu cheiro é de cravo
Minha cor de canela
A minha bandeira
É verde e amarela
Pimenta de cheiro
Cebola em rodela
Um beijo na boca
Feijão na panela Gabriela
Sempre Gabriela
Passei um café inda escuro
E logo me pus a caminho
Eu quero rever Gabriela
De novo provar seu cheirinho
Manhã bem cedinho na mata
O sol derramou seu carinho
Um brilho na folha da jaca
Pensei em rever meu benzinho Gabriela
Se ainda sobrasse um dinheiro
Podia comprar-te um vestido
E mais um vidrinho de cheiro
Contar-te um segredo no ouvido
Te trouxe um anel verdadeiro
Sonhei que era teu preferido
Pensei, repensei tanta coisa
Ah, me deixa ser teu marido
Pensei, repensei tanta coisa
Queria casar-me contigo Gabriela Gabriela
Todos os dias esta saudade
Felicidade cadê você
Já não consigo viver sem ela
Eu vim à cidade pra ver Gabriela
Tenho pensado muito na vida
Volta bandida mata essa dor
Volta pra casa, fica comigo
Eu te perdoo com raiva e amor
Chega mais perto, moço bonito
Chega mais perto meu raio de sol
A minha casa é um escuro deserto
Mas com você ela é cheia de sol
Molha a tua boca na minha boca
A tua boca é meu doce é meu sal
Mas quem sou eu nesta vida tão louca?
Mais um palhaço no teu carnaval
Casa de sombra vida de monge
Quanta cachaça na minha dor
Volta pra casa, fica comigo
Vem que eu te espero tremendo de amor
Em noite sem lua, pulei a cancela
Cai do cavalo, perdi Gabriela
Oh lua de cera, oh lua singela
Lua feiticeira cadê Gabriela?
Ontem vim de lá do Pilar
Inda ontem vim lá do PilarJ
á tô com vontade de ir por aí
Ontem vim de láInda ontem vim de lá
Já tô com vontade de ir por aí
E na corda da viola todo mundo sambar
E na corda da viola todo mundo sambar
Todo mundo sambar
Todo mundo sambar quebra pedra....
Gabriela 
Antônio Carlos Jobim

Vengo dal nord, vendo da lontano
Da un luogo che  non c’é piú
Ho dormito lungo la strada
Mi son fermata in questo luogo
Ho l’odore di un garofano
E il colore di cannella
La mia bandiera
E’ verde e gialla
Peperoncino leggero
Cipolla a rondelle
Un bacio sulla bocca
Fagioli in padella Gabriela
Sempre Gabriela
Ho fatto un caffé ancora col buio
E mi son messo subito in cammino
Voglio rivedere Gabriela
E risentire il suo odore
La mattina presto, nella foresta
Il sole ha riversato la sua tenerezza
E un bagliore sulla foglia di jaca
Ho voluto rivedere il mio amore
Gabriela
Se mi avanzassero dei soldi
Potrei comprarti un vestito
E una bottiglietta di profumo
Rivelarti un segreto alle orecchie
Ti ho portato un anello prezioso
Ho sognato che era il tuo preferito
Ho pensato e ripensato a tante cose
Ah, permettimi di esser tuo sposo
Ho pensato e ripensato a tante cose
Vorrei sposarti Gabriela Gabriela
Tutti i giorni una simile saudade
Felicitá, dove sarai?
Non riesco piú a vivere senza di lei
Sono venuto in cittá per vedere Gabriela
Ho pensato molto alla vita
Torna bandita, poni fine al mio dolore
Torna a casa, resta con me
Ti perdono con rabbia e amore
Avvicinati, mio bello
Avvicinati, mio raggio di sole
La mia casa é un oscuro deserto
Ma con te é piena di sole
Bagna la tua bocca nella mia
La tua bocca é il mio dolce e il mio sale
Ma chi son io in questa pazza vita?
Solo una maschera nel tuo carnevale
Casa di ombre, vita di monaco
Quanta cachaça nel mio dolore
Torna a casa, resta con me
Vieni, ti aspetto, tremando d’amore
In una notte senza luna, ho scavalcato il portone
Sono caduto dal cavallo, ho perso Gabriela
O luna di cera, o luna semplice
Luna che incanti, dov’é Gabriela?
Ieri son venuto dal Pilar
Solo ieri son venuto dal Pilar
Vorrei giá andarmene via
Ieri sono arrivato da lá
Sono arrivato solo ieri
Vorrei giá andarmene via
E tutti ballano il samba al suono di una chitarra
E tutti ballano il samba al suono di una chitarra
Tutti a sambare Tutti a sambare...
Antônio Carlos Jobim Jorge Amado
raffaella.fuso@yahoo.it
Copyright 2007- Fuso Raffaella - Tutti i diritti riservati